segunda-feira, 16 de abril de 2012

"Saiba que os poetas, como os cegos, podem ver na escuridão..." Daí, esse "Meu coração vagabundo quer guardar o mundo em mim..."


"Sigo a vida conforme o roteiro, sou quase normal por fora, pra ninguém desconfiar. Mas por dentro eu deliro e questiono. Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso. Quero o que não vejo. Quero o que não entendo. Quero muito e quero sem fim. Não cresci pra viver mais ou menos, nasci com dois pares de asas, vou aonde eu me levar. Por isso, não me venha com superfícies, nada raso me satisfaz. Eu quero é o mergulho. Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida. E rezar – se ainda acreditar – pra sair ainda bem melhor do outro lado de lá".



3 comentários:

  1. Clarice Lispector sempre me inspira... Em momentos de estar com sentimentos à flor da pele, indecisões e espera, um bom companheiro é o livro " uma aprendizagem ou o livro dos prazeres", onde tem um trecho que diz: "... uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteira, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, espararei quanto tempo for preciso." (C.L.) E é o "Apesar de" que me move a cada segundo, pois apesar de, as coisas sempre acontecem quando tem que acontecer.

    ResponderExcluir
  2. Un blog lleno de sensibilidad , creatividad y buen gusto.Te sigo.Te invito a seguir mi blog.Saludos poéticos.

    ResponderExcluir